#MetasDeSP: Plano promete reduzir tempo médio de espera por exames prioritários, de 72 para 30 dias

Entre as ações previstas na Meta 4 da proposta de Programa de Metas da Prefeitura está “implantar o Prontuário Eletrônico em 100% das Unidades Básicas de Saúde – UBS”

Por Airton Goes, da Rede Nossa São Paulo

Uma das metas mais importantes incluídas no programa apresentado pela gestão Doria é a número 4, que promete “reduzir o tempo médio de espera para exames prioritários para 30 dias na cidade de São Paulo”. 

De acordo com os dados disponibilizados no portal Planeja Sampa, em 2016 a fila de espera para realização de determinados exames ultrapassava 12 meses e o tempo médio de espera por exames prioritários foi de 72 dias. 

Como tempo médio, a Prefeitura entende a quantidade de dias “entre a data de solicitação e a data de realização do exame em relação ao total de agendamentos válidos”.

A proposta de Programa de Metas 2017-2020 também informa os exames considerados prioritários contemplados pela meta: ecocardiograma, endoscopia, mamografia, raio-x, ressonância magnética, teste ergométrico, tomografia e ultrassonografia. 

Segundo a explicação disponibilizada, a realização desses exames em tempo adequado reduz o risco de morte e sequelas.

Prefeito afirma que Corujão da Saúde já reduziu a fila

O prefeito João Doria afirma que já cumpriu uma de suas principais promessas de campanha: zerou em apenas três meses a fila de exames médicos que herdou da gestão de Fernando Haddad. 

Para atingir essa marca, porém, a gestão municipal não atendeu parte dos pacientes que procuraram as unidades de saúde a partir de janeiro deste ano. Cerca de 95 mil usuários da Rede Municipal de Saúde aguarda o agendamento para realizar o procedimento. 

“Apesar de o Corujão da Saúde ter reduzido as filas de espera por exames, faz-se necessário um trabalho de manutenção do tempo médio de espera para exames prioritários”, justifica o texto explicativo da meta. 

Para cumprir o objetivo proposto, a Prefeitura cita dois projetos associados: #AceleraSaúde e Saúde Digital. Cada um deles relaciona seis “linhas de ação”, tais como: garantir a equipe necessária para atuar com serviços de regulação nas Unidades Básicas de Saúde; ampliar a disponibilidade de vagas de exames prioritários em 10%; e implantar o Prontuário Eletrônico em 100% das Unidades Básicas de Saúde - UBS.

Ao relatar a “situação atual encontrada”, sem citar a gestão anterior, de Fernando Haddad, o texto do programa reconhece que a implantação do Prontuário Eletrônico já foi iniciada, acrescentando uma ressalva: “mas ainda são necessárias muitas ações no sentido do desenvolvimento de novas funcionalidades, integração e utilização em larga escala pela rede”.

Segundo a administração municipal, a Meta 4 do plano está relacionada ao ODS 3 – Saúde e Bem-Estar, que visa “assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todas e todos, em todas as idades”.

Confira abaixo algumas informações disponibilizadas pela Prefeitura sobre a Meta 4 - reduzir o tempo médio de espera para exames prioritários para 30 dias na cidade de São Paulo:

Valor base: 72 dias         

Fonte: Sistema Integrado de Gestão da Assistência à Saúde/SIGA-Saúde SP  

A meta está associada a dois projetos:

I – Projeto: #AceleraSaúde

SITUAÇÃO ATUAL ENCONTRADA
A fila de espera para realização de determinados exames diagnósticos ultrapassava 12 meses e o tempo médio de espera por exames prioritários foi de 72 dias em 2016, ou seja, mais de dois meses. Os exames diagnósticos de imagem fazem-se necessários para continuidade do Cuidado e para a realização de cirurgias, assim, apesar de o Corujão da Saúde ter reduzido as filas de espera por exames, faz-se necessário um trabalho de manutenção do tempo médio de espera para exames prioritários. 

LINHAS DE AÇÃO

- Desenvolver e aplicar protocolos de acesso, incluindo indicações clínicas e profissionais solicitantes de exames prioritários, definidos com base no nível de atenção e na hipótese diagnóstica.
- Realizar Educação Permanente na modalidade de Educação à Distância - EAD para os profissionais médicos e reguladores de 100% das unidades da Rede de Atenção Básica, para aplicação dos protocolos de encaminhamentos e solicitação de exames.
- Garantir a equipe necessária para atuar com serviços de regulação nas Unidades Básicas de Saúde.
- Reduzir o absenteísmo - não comparecimento dos pacientes aos exames - para 20%.
- Reduzir a Perda Primária - não ocupação de vagas para exames disponibilizadas - para 5%.
- Ampliar a disponibilidade de vagas de exames prioritários em 10%.

II – Projeto: Saúde Digital

SITUAÇÃO ATUAL ENCONTRADA
O processo de implantação do prontuário eletrônico nos equipamentos de saúde do município teve início, mas ainda são necessárias muitas ações no sentido do desenvolvimento de novas funcionalidades, integração e utilização em larga escala pela rede.

LINHAS DE AÇÃO

- Implantar o Prontuário Eletrônico em 70% dos hospitais da rede municipal de saúde.
- Implantar o Prontuário Eletrônico em 50% dos Ambulatórios de Especialidades da rede municipal de saúde.
- Implantar o Prontuário Eletrônico em 100% das Unidades Básicas de Saúde - UBS.
- Desenvolver Aplicativo para que os Usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) possam conhecer informações sobre os serviços mais adequados, próximos e qualificados para os atendimentos de saúde pretendidos ou necessários.
- Prover aos usuários do SUS do município o acesso digital direto ao sistema de agendamento de suas consultas, exames e procedimentos.
- Ampliar o Telessaúde, duplicando o número de teleconsultores, garantindo a cobertura de todas as Prefeituras Regionais. 

Foto: Programa Corujão da Saúde - Prefeitura Municipal de São Paulo 

Confira a análise de especialistas a respeito deste tema:

'Equipamentos públicos da Saúde de SP precisam manter comunicação constante'
Entrevista com Marília Cristina Louvison, professora do Departamento de Prática de Saúde Pública da Faculdade de Saúde Pública da USP. Ela comenta sobre as metas da área da saúde do Programa de Metas 2017-2020, e enfatiza que o sistema de São Paulo precisa criar uma rede e padrões de atendimento (Ouça, na CBN)

Lembrando: as metas para a saúde:

META 1 "Aumentar a cobertura da atenção primária à saúde para 70% na cidade de São Paulo"

META 2 "Reduzir em 5% a taxa de mortalidade precoce por doenças crônicas não transmissíveis selecionadas, contribuindo para o aumento da expectativa de vida saudável"

META 3 "Certificar 75% dos estabelecimentos municipais de saúde conforme critérios de qualidade, humanização e segurança do paciente"

META 4 "Reduzir o tempo médio de espera para exames prioritários para 30 dias na cidade de São Paulo"

META 5 "Diminuir a taxa de mortalidade infantil em 5% na cidade de São Paulo, priorizando regiões com as maiores taxas"

META 10 "Transformar São Paulo em uma Cidade Amiga do Idoso, obtendo o selo pleno do Programa São Paulo Amigo do Idoso"