Entidades da Arquidiocese de São Paulo pedem que reorganização escolar seja suspensa por um ano

Carta aberta encaminhada ao governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, é assinada pela Comissão de Justiça e Paz, Centro Santo Dias dos Direitos Humanos e Pastoral da Educação

Confira a íntegra do documento:

CARTA ABERTA

Ao Exmo. Governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin

São Paulo, 30 de novembro de 2015

Prezado Senhor

Nos termos da carta anterior, datada de 16 de novembro de 2015, dirigida ao Senhor Secretário da Educação do Estado de São Paulo, a Comissão Justiça e Paz, o Centro Santo Dias de Diretos Humanos e a Pastoral da Educação, entidades da Arquidiocese de São Paulo, cientes do impasse e do risco de graves desdobramentos que podem vir a ocorrer, apelamos às autoridades para que suspendam, por um ano, a aplicação da chamada Reorganização por Ciclos.

Preocupa-nos os  riscos de desdobramentos face ao ocorrido em reunião na Secretaria da Educação, conforme amplamente divulgado, ocasião em que foi referido o termo “guerra”, envolvendo inclusive de forma indevida a pessoa do arcebispo metropolitano, Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer, que em nota já se manifestou enfatizando sua posição no sentido de que  “o governo precisa explicar mais e melhor a proposta de restruturação do ensino no Estado aos diretamente interessados no projeto, bem como à opinião pública”.

Esse adiamento ora pleiteado possibilitará a abertura de diálogo entre as autoridades educacionais e a comunidade escolar, bem como com toda sociedade, visando a que o processo educativo  cumpra com seu dever de estabelecer em nosso Estado a desejada educação de qualidade.

Atenciosamente,

Antonio Funari
Comissão Justiça e Paz de São Paulo
[email protected] 

Luiz Antonio de Souza Amaral
[email protected]
Pastoral da Educação da Arquidiocese de São Paulo

Compartilhe este artigo