poluição

Circulação de veículos em SP e acionamento de térmicas elevam poluição

Limite estabelecido para emissão de ozônio gás foi ultrapassado 576 vezes em 2012 - média de duas vezes a cada três dias.

Por Idiana Tomazelli e Mariana Sallowicz - O Estado de S. Paulo

A maior circulação de veículos em São Paulo e o acionamento de usinas termelétricas para abastecer o País com energia elevou a concentração de poluentes na capital paulista entre 2011 e 2012. A emissão de ozônio, oriunda da queima de combustíveis fósseis e um dos gases mais críticos para a poluição atmosférica, avançou exponencialmente.

Cidades, carros e bicicletas, por Raquel Rolnik

Na próxima quinta-feira (18), estreia no Brasil o documentário "Bikes versus Carros", do diretor sueco Fredrik Gertten. Percorrendo diferentes cidades do mundo –São Paulo, Los Angeles, Copenhague, Toronto, Bogotá, entre outras–, o filme retrata não apenas o confronto de dois modos de circular pelas cidades, mas de duas culturas urbanas: a dos carros e a das bicicletas.

Inspeção veicular está travada no Estado de SP e na capital paulista

O plano de combate à poluição feito por técnicos da Cetesb, a agência ambiental paulista, também propõe a realização da inspeção veicular obrigatória periódica –pelo menos nas cidades da Grande São Paulo.

"A inspeção ambiental é uma importante ferramenta para o controle das emissões de veículos em uso", segundo o texto do plano.

Grande SP tem que reduzir 26% das viagens de carro para ter ar aceitável

Por Eduardo Geraque

Para colocar a poluição do ar nos eixos, as viagens de carro na Grande São Paulo precisariam cair 26%. O diagnóstico foi feito pelo governo paulista por meio do Plano de Controle de Poluição Veicular 2014-2016, aprovado há seis meses pelo Conselho Estadual de Meio Ambiente.

Principal vilã da má qualidade do ar em São Paulo, a frota de automóveis não para de crescer -só a capital ganhou 400 mil em três anos.

Poluição e calor transformam São Paulo em um caldeirão químico

Por Paulo Saldiva, Mariana Veras e Nilmara de Oliveira Alves

Nas últimas semanas, estamos com a impressão de que o Brasil foi colocado em uma panela quente. Andar pelas ruas é um exercício de sudorese, os ônibus lotados fazem as vezes de sauna e dormir passou a ser uma experiência desafiadora.