Mapa da Desigualdade

Vivendo à margem: a desigualdade em São Paulo mapeada

The Guardian

A vida na maior metrópole da América do Sul é tudo menos uniforme - o núcleo da cidade e sua periferia são mundos separados

Menos de 10 milhas de expansão de concreto separam os bairros de São Paulo do Jardim Paulista e Jardim Ângela, mas essa lacuna representa quase 24 anos na expectativa de vida das pessoas que lá vivem.

Enquanto os residentes da área central da Paulista podem esperar viver além de seus 79 anos de idade em média, as pessoas do Jardim Ângela, na periferia do sudoeste, provavelmente morrerão antes de completar 56 anos.

Senac Francisco Matarazzo promove debate sobre desigualdades socioterritoriais nas cidades brasileiras

Especialistas vão abordar gestão das políticas sociais brasileiras, diversidades socioculturais presentes nas cidades e seus territórios, e o mapa da desigualdade em São Paulo, entre os outros assuntos.

O Senac Francisco Matarazzo realiza, na próxima quinta-feira (30/11), no Auditório Nobre do edifício Sede do Senac São Paulo, na Vila Buarque, o debate Gestão de Projetos Sociais no Território. A iniciativa tem o objetivo de proporcionar um diálogo sobre as desigualdades socioterritoriais e os caminhos para decodificá-las, com especialistas sobre o tema.

Morador de Cidade Tiradentes vive 25 anos a menos em SP

Regiane Soares, do Agora

Vinte cinco anos de vida separam moradores de Alto de Pinheiros (zona oeste) e de Cidade Tiradentes (zona leste).

No distrito do extremo leste da capital, a expectativa média de vida é de 53,85 anos, contra 79,67 anos no bairro rico da região oeste.

Os números fazem parte do Mapa da Desigualdade 2016, elaborado pela Rede Nossa São Paulo, que traz dados dos 96 distritos da capital sobre diversas áreas, como saúde, educação, cultura e transporte.

Como é viver no lugar onde se morre mais cedo, na média, em São Paulo?

Gabriela Fujita, do UOL

Em Cidade Tiradentes, a idade média ao morrer é de 53,85 anos, a mais baixa no Mapa da Desigualdade 2016, uma compilação de dados oficiais organizada pela ONG Rede Nossa São Paulo. Para efeito de comparação, nesse quesito, o lugar com média mais alta na capital é o bairro de Alto de Pinheiros (zona oeste, a 70 km do centro), onde a expectativa de vida chega a 79,67 anos de vida.