Publicações Indicadores 2008

 
 
Alguns destaques de indicadores da Região Norte 1
Na região da subprefeitura de Jaçanã/Tremembé, o percentual de nascidos vivos cujas mães fizeram menos de sete consultas pré-natal é de 42,48%, o terceiro mais alto da cidade. Na região de Vila Maria/Vila Guilherme, apenas 3,43% das solicitações de vagas de pré-escola sobre o total de matrículas realizadas não foram atendidas.
Baixe aqui a publicação da Região Norte 1

Alguns destaques de indicadores da Região Norte 2
Na região da subprefeitura da Casa Verde/Cachoeirinha não há sequer um centro cultural, casa de cultura ou cinema à disposição dos moradores. E na região de Pirituba é preocupante o coeficiente de mortalidade infantil: 15,37 para cada mil nascidos vivos. Nos indicadores “Renda média do trabalho homens x mulheres” e “Desemprego de mulheres x homens”, Casa Verde/Cachoeirinha, Freguesia do Ó/Brasilândia, Perus e Pirituba ocupam os últimos lugares no ranking das 31 suprefeituras.
Baixe aqui a publicação da Região Norte 2

Destaques de indicadores da Região Leste 1

Na região da subprefeitura de Aricanduva um indicador bastante negativo chama a atenção: 62,7% das solicitações de vagas de pré-escola não foram atendidas em 2006. Por outro lado, o número de crimes violentos fatais ficou em 10 por cada 100 mil habitantes, o terceiro mais baixo da cidade. A região da Mooca é a campeã em unidades públicas esportivas, com 10,57% do total.
Baixe aqui a publicação da Região Leste 1

Destaques de indicadores da Região Leste 2
Em Cidade Tiradentes o indicador de abandono do Ensino Médio na rede pública é o pior da cidade – 11,81%. Na subprefeitura do Itaim Paulista, o problema do desemprego é latente: a taxa média é de 21,48%, entre as piores da cidade. São Miguel é recordista em gravidez precoce: 19,40% dos nascidos vivos tinham mães com 17 anos ou menos.
Baixe aqui a publicação da Região Leste 2

Destaques de indicadores da Regiões Centro e Oeste

A área da subprefeitura da Sé é a que tem os melhores números em diversos indicadores. Em Assistência Social, é a primeira em repasses de convênio e em vagas para atendimento. É também a que tem o menor percentual de domicílios sem ligação à rede de esgoto e a que concentra o maior número de cinemas, teatros e centros culturais. Já a subprefeitura da Lapa se destaca por um indicador cultural importante: abriga 11,05% do total de salas de teatro da capital. Mas, por outro lado, a proporção entre o rendimento médio do trabalho de negros e não-negros é a segunda maior, de 3,28. Em Pinheiros, chama a atenção o número de mortes por doenças do aparelho circulatório por cem mil habitantes, que é o segundo pior: 314,56.
Baixe aqui a publicação das Regiões Centro e Oeste

Destaques de indicadores da Região Sul 1
A subprefeitura do Ipiranga é a campeã em equipamentos esportivos públicos: comporta 7,32% do total da cidade. Entretanto, está entre as piores na taxa de reprovação no Ensino Médio da rede privada, com 8,11%. O Jabaquara é a região é a que tem a menor taxa de analfabetismo da cidade – 2,49%, no entanto, tem o terceiro maior índice de reprovação no Ensino Médio da rede pública, 20,39%. Na subprefeitura da Vila Mariana congrega diversos indicadores positivos, dentre eles o segundo mais baixo índice de domicílios em favelas, 0,77%.
Baixe aqui a publicação da Região Sul 1

Destaques de indicadores da Região Sul 2
Campo Limpo tem o pior índice de domicílios em favelas: 39,26%. Capela do Socorro também está em último lugar na distribuição do Orçamento Municipal por subprefeitura, com 31,43 per capita. Na Capela do Socorro, foram registrados, em 2006, 295,02 crimes violentos não-fatais por 100 mil habitantes – o número é o terceiro mais baixo da cidade. Em Cidade Ademar, a renda média proveniente do trabalho é de R$ 772, a mais baixa. M’Boi Mirim tem a segunda taxa mais alta de unidades básicas públicas de atendimento em saúde por 20 mil habitantes, de 1,21.
Baixe aqui a publicação da Região Sul 2