Rede Nossa São Paulo e Ibope lançam sexta pesquisa sobre Mobilidade Urbana

 
 

Resultados do levantamento mostram, por exemplo, o tempo médio gasto pelos paulistanos no trânsito e o nível de satisfação com o transporte coletivo

Como parte das atividades programadas para a Semana da Mobilidade na capital paulista – de 16 a 22 de setembro –, a Rede Nossa São Paulo e o Instituto Ibope lançam a sexta edição da pesquisa sobre Mobilidade Urbana. A pesquisa de campo foi realizada entre os dias 17 e 24 de agosto com 805 moradores da capital paulista de 16 anos ou mais. A margem de erro é de 3 pontos porcentuais para mais ou para menos.

Candidatos a vereador foram convidados para comentar os resultados da pesquisa, que aborda os mais diversos aspectos da mobilidade em São Paulo, como o tempo gasto no trânsito, a frequência com que os paulistanos utilizam o transporte público e a satisfação com o transporte coletivo.

Além de expressar as opiniões de suas bancadas sobre os dados, os convidados também apresentam as propostas de seus partidos para as questões da mobilidade. A atividade também conta com a presença do presidente da Câmara Municipal, vereador José Police Neto, que apresentará os indicadores levantados pelo próprio Legislativo paulistano.

Durante a atividade, será lido um manifesto de organizações da sociedade civil sobre os problemas da mobilidade urbana na cidade.

Entre as conclusões apontadas pela pesquisa, destacam-se:

8 em cada 10 entrevistados acham que o trânsito em São Paulo é ruim ou péssimo

 “Trânsito” está entre as 4 áreas consideradas mais problemáticas na cidade, citado por 1/3 dos entrevistados. Paralelamente, quando são questionados especificamente sobre esta questão, 80% dos moradores da maior cidade da América do Sul consideram a situação do trânsito em São Paulo como ruim ou péssima;

 A análise de respostas sobre o tema “trânsito” e comparando com o tempo médio de deslocamento dos paulistanos confirma a percepção de quanto incômodo é causado por esse mal urbano. Os paulistanos gastam em média cerca de 2 horas e meia nos seus deslocamentos diários, independentemente do meio de transporte utilizado;

 Cerca de 1/3 dos moradores de São Paulo gasta 1 hora e meia ou mais nos seus deslocamentos somente para a sua atividade diária principal (trabalho ou estudo).

Moradores da Zona Sul são mais atingidos pelo trânsito

 Na Zona Sul, uma das regiões mais populosas da cidade, esta percepção negativa em relação ao trânsito de São Paulo é ainda pior: 2/3 dos moradores gastam mais do que 1 hora e meia por dia para todos os seus deslocamentos. Esta média é de 39% na região central, em contraponto;

 Isto é traduzido em 2 horas e 40 minutos de tempo de deslocamento médio diário na Zona Sul. Por conta desta sensação, 39% dos moradores desta região mencionam “trânsito” como o maior problema da cidade, 7 pontos percentuais acima da média de São Paulo;

 Os problemas relacionados ao trânsito são sentidos mais agudamente pelos que utilizam o carro como meio de transporte diário ou praticamente diário, dos quais 40% citam este como maior problema da cidade, enquanto que para os que não utilizam o carro, trânsito é citado por 30%;

 Entre os entrevistados cuja renda familiar está entre 2 e 5 salários mínimos, caiu de 62% (em 2011) para 59%  (em 2012) os que afirmaram possuir automóvel de passeio em casa. Entre os que ganham mais de 5 salários mínimos, a queda foi de 84% para 74%;

 Diminuiu o número de pessoas que usa carro “quase todos os dias”; passou de 13% (em 2011) para 9% (em 2012);

 Os entrevistados das zonas Norte e Leste são os que menos utilizam o carro todos os dias. Na Zona Norte o número caiu de 29% para 18% e na Leste, de 27% para 21%.

Aumenta o sentimento que o transporte coletivo necessita de priorização de investimentos

 Mais de 2 milhões de paulistanos utilizam o carro todos os dias ou quase todos os dias para se locomover, destes, 65% declaram que deixariam de usá-lo se houvesse uma boa alternativa de transporte;

 Esta percepção vem ao encontro da necessidade de investimentos em transporte coletivo, mencionado por 8 em cada 10 entrevistados, nove pontos percentuais acima de 2011, citando a ampliação e modernização das linhas de metrô, trem e ônibus como medida a ser adotada como melhoria da mobilidade urbana;

 Construir e ampliar as linhas de metrô e trem continua sendo a medida mais citada pela população, porém aumentam as citações sobre a ampliação dos corredores de ônibus de 34%, em 2011, para 41%, neste ano.

Faixas de pedestres são mais respeitadas, mas paulistanos exigem investimentos em melhorias

 Indagados sobre o respeito às faixas de pedestres, a população afirma que elas têm sido mais respeitadas pelos motoristas, percepção que sofreu uma melhora significativa em relação a 2011: passou de 26% para 47%;

 Se, por um lado, o respeito às faixas de pedestres pelos motoristas aumenta, por outro, os paulistanos estão mais insatisfeitos com elas;

 A nota atribuída à sinalização de pedestres cai de 4,7 para 2,8;

 O tempo de travessia de pedestres cai de 4,6 para 4,0;

 Localização das faixas de pedestres recebe nota 4,5;

 A maioria (88%) aprova a aplicação de multas para veículos que param em cima da faixa de pedestres, ação punitiva no sentido de melhorar a fluidez. Já a aplicação de multas em pedestres não tem a mesma percepção dos entrevistados: somente 34% são favoráveis.

Medidas polêmicas para o trânsito são desaprovadas

 Uma das polêmicas discussões em relação à melhoria do trânsito de São Paulo é o pedágio urbano. Questionados sobre essa medida, apenas 17% a aprovam. Entre os motoristas habituais, a aprovação é ainda menor: 13%;

 O aumento do rodízio de veículos no centro expandido para 2 dias, outra medida polêmica, tem melhor aceitação: alcança 1/3 dos entrevistados (37%);

 Por outro lado, quase uma unanimidade, a construção e ampliação de ciclovias é uma medida aprovada por 88% dos moradores de São Paulo. Entre os motoristas habituais, esse índice é ainda maior: 91%;

 Ainda sobre a investigação de medidas que possam favorecer o trânsito de São Paulo, também é quase unânime (89%) a aprovação da ideia de existirem motofaixas (faixas exclusivas para motos). Por outro lado, entre os motoristas habituais, somente 1/3 deles aprova a circulação de motos entre as faixas de circulação;

Caminhões são os vilões da poluição do ar, e carros, são apontados mais firmemente como agentes poluidores, afirmam paulistano

 A poluição do ar é citada como o mais grave entre os diferentes tipos de poluição por sete em cada dez dos entrevistados, sendo que para a maior parte dos paulistanos é um problema grave ou muito grave (78%);

 Apontado como os principais responsáveis pela poluição do ar em São Paulo, os “caminhões” são citados por praticamente metade dos entrevistados (44%). “Veículos velhos em geral”, são citados por 34%;

 Carros são mais considerados como agentes poluidores em 2012 do que nos anos anteriores. Esta percepção cresceu 10 pontos percentuais em relação a 2011(de 18% para 28%).

Saúde é citada por 7 em cada 10 paulistanos como maior problema da cidade

 O paulistano está mais insatisfeito com a qualidade de vida na cidade. Caiu de 62% para 59% os que afirmaram que São Paulo é um lugar “ótimo” ou “bom” para se viver. Os que consideram a cidade “ruim/péssima” passaram de 10% para 13%;

 A “saúde”, com 69% das menções, continua sendo percebida como a área com maiores problemas na cidade de São Paulo, seguida por “segurança pública”, que cresce nove pontos percentuais em um ano e alcança 45% das menções, e por “educação”, com 43%.

Veja a apresentação resumida da pesquisa

Confira a apresentação completa da pesquisa

Participe das atividades da Semana da Mobilidade

A Semana da Mobilidade começa no dia 16/9, domingo, e termina do dia 22/9, sábado, quando é comemorado o Dia Mundial Sem Carro. Uma série de atividades está sendo preparada pela Rede Nossa São Paulo e por organizações parceiras, que participam do Coletivo da Mobilidade, para ocorrerem na capital paulista.

Clique aqui para ver a programação de eventos já confirmados e participe. As atividades visam chamar atenção da sociedade civil e do poder público para o tema da mobilidade urbana e os problemas decorrentes da poluição do ar gerada pelos veículos motorizados.

Saiba mais: www.diamundialsemcarro.org.br


Veja mais Notícias