Ações Nossa São Paulo

 
 

Veja as publicações de balanço: Ano I / Ano II / Ano III / Ano IV / Ano V /Ano VI

PRINCIPAIS REALIZAÇÕES:  

 

Programa Cidades Sustentáveis 

O Programa Cidades Sustentáveis oferece aos prefeitos uma agenda completa de sustentabilidade urbana associada a indicadores e casos exemplares, como referências a serem seguidas pelos gestores públicos. Para isso, o Programa Cidades Sustentáveis oferece:

I – Ferramentas
- Plataforma Cidades Sustentáveis, uma agenda para a sustentabilidade das cidades que aborda as diferentes áreas da gestão publica, em 12 eixos temáticos, e incorpora de maneira integrada as dimensões social, ambiental, econômica, política e cultural;
- Indicadores gerais associados aos eixos da plataforma;
- Indicadores básicos que farão parte dos compromissos de candidatos(as) e prefeitos(as);
- Casos exemplares e referências nacionais e internacionais de excelência para a melhora integrada dos indicadores das cidades.

II – Mobilização
- Campanha para os(as) candidatos(as) adotarem a Plataforma e assumirem compromissos com o Programa;
- Campanha para eleitores valorizarem os(as) candidatos(as) comprometidos com o Programa Cidades Sustentáveis.

III – Compromissos
- Os(as) candidatos(as) a cargos executivos podem confirmar seu engajamento com o desenvolvimento sustentável assinando a Carta Compromisso. Com isso, os signatários eleitos deverão estar dispostos a promover a Plataforma Cidades Sustentáveis em suas cidades e a prestar contas das ações desenvolvidas e dos avanços alcançados por meio de relatórios, revelando a evolução dos indicadores básicos relacionados a cada eixo.

IV – Benefícios para as Cidades Participantes
- As cidades participantes ganharão visibilidade em materiais de divulgação e na mídia, terão acesso a informações estratégicas e trocarão experiências com outras cidades, além de fazerem parte de um movimento inédito no Brasil que representa um passo a mais no processo de construção de cidades mais justas, democráticas e sustentáveis.

Pesquisas Ibope

Anualmente, na época do Dia Mundial Sem Carro, a Rede Nossa São Paulo realiza pesquisa sobre Mobilidade Urbana em parceria com o Ibope, com o objetivo de captar a percepção da população a respeito do tema. A primeira foi lançada em 2007. 

Também anualmente, é realizada a pesquisa Ibope de percepção sobre a cidade e a administração pública, o IRBEM (veja a seguir). A pesquisa tem edições anuais, para o monitoramento sistemático da qualidade de vida na cidade de São Paulo. A primeira foi lançada em janeiro de 2008. 

IRBEM - Indicadores de Referência de Bem-Estar no Município

O objetivo da elaboração do IRBEM é orientar ações de governos, empresas, organizações e toda a sociedade, considerando como foco principal o bem-estar das pessoas. O processo de construção do IRBEM começou com uma consulta pública em junho de 2009 e resultou, em janeiro de 2010, no lançamento da pesquisa Ibope sobre a satisfação dos paulistanos com os itens mais apontados na consulta pública. De lá para cá, em todos os meses de janeiro uma nova pesquisa é lançada, garantindo bases de comparação. 

Indicadores

Manutenção do Observatório Cidadão Nossa São Paulo - banco de dados virtual que disponibiliza um conjunto de indicadores sociais, ambientais, econômicos, políticos e culturais sobre a cidade de São Paulo e cada uma de suas 31 subprefeituras. Os indicadores serão constantemente atualizados, avaliados e divulgados para toda a sociedade.

Publicações com indicadores sobre a cidade de São Paulo e de sua acentuada desigualdade econômica e social.

Campanha "Você no Parlamento"

A iniciativa foi uma realização conjunta entre a Rede Nossa São Paulo e a Câmara Municipal de São Paulo, formalizada por meio da assinatura de um Termo de Cooperação. Ao criar uma nova relação entre o Legislativo e a sociedade, a campanha Você no Parlamento (www.vocenoparlamento.org.br) convocou toda a população paulistana a elencar prioridades em diversas áreas (Saúde, Educação etc) e, com isso, pautar a o trabalho dos vereadores. O questionário (impresso e online) foi elaborado por uma comissão técnica composta por representantes de diversas instituições – além da Rede e da Câmara – como USP, FGV, Escola de Governo e Ibope. O resultado desta consulta pública – realizada entre 15 de junho e 15 de agosto – visava orientar a elaboração de projetos de lei, na inclusão de emendas ao orçamento da cidade e na fiscalização do Executivo. Essencialmente, fazer com que gestores públicos direcionassem seus trabalhos a partir das reais necessidades da sociedade que os elegeram. E, com isso, oferecer à população a oportunidade de acompanhar, fiscalizar e cobrar.

Fórum Empresarial de Apoio à Cidade de São Paulo

O Fórum Empresarial de Apoio à Cidade de São Paulo foi uma iniciativa liderada pelo Instituto Ethos e pela Rede Nossa São Paulo com o objetivo de sensibilizar, mobilizar e assessorar as empresas para atuarem visando ao desenvolvimento justo e sustentável de São Paulo. A ideia foi que as empresas, de forma organizada, sistêmica e eficiente, empreendessem ações e parcerias com outras empresas, organizações sociais, instituições de ensino e pesquisa e o poder público.

Debates sobre mobilidade e transporte 

A Rede Nossa São Paulo e a Câmara Municipal de São Paulo promoveram de maio a novembro de 2010 a série de seminários “Mobilidade e Transporte Sustentáveis”. A iniciativa foi do Grupo de Trabalho de Mobilidade Urbana da Rede e da Comissão de Trânsito, Transporte, Atividade Econômica, Turismo, Lazer e Gastronomia da Câmara. Com o objetivo de construir uma agenda para a cidade envolvendo sociedade civil e poder público, os seminários abordaram os desafios da mobilidade em São Paulo, a avaliação dos indicadores técnicos, a relação entre transporte e saúde e as propostas (vinculadas aos orçamentos municipal e estadual) para um Plano Municipal de Mobilidade e Transporte Sustentáveis.

Dia Mundial Sem Carro

A Rede Nossa São Paulo está entre os organizadores do Dia Mundial Sem Carro desde 2007. Conheça e participe da rede social do Dia Mundial Sem Carro.

Campanha pela redução da taxa de enxofre no diesel vendido no País

A resolução 315/2002 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) determinou que, em janeiro de 2009, o diesel comercializado no Brasil tivesse, no máximo, 50 partículas por milhão (ppm) de enxofre. A substância, altamente cancerígena, é responsável pela morte de 3 mil pessoas somente na capital paulista. Em função disso, a Rede Nossa São Paulo se uniu a outras entidades para cobrar das autoridades federais e montadoras de veículos o cumprimento da resolução.

Programa de Metas - emenda à Lei Orgânica do Município

A emenda nº 30, aprovada em fevereiro de 2008 por mobilização da Rede Nossa São Paulo, compromete os sucessivos prefeitos a apresentarem um programa detalhado de governo com metas claras e prestação de contas semestral. O Programa de Metas tem que ser separado por subprefeituras e distritos da cidade. São Paulo foi a primeira cidade do Brasil a aprovar a emenda e foi seguida por outras em várias partes do Brasil. Em 31 de março, como determina a lei a gestão Gilberto Kassab apresentou o programa, batizado de Agenda 2012. Fernando Haddad apresentou o Plano de Metas 2013-2016 em 26 de março de 2013.

em 2009, a Rede Nossa São Paulo lançou a publicação "Referências de Metas para São Paulo: 2009 – 2012" - conjunto de metas quantitativas e qualitativas para várias áreas administrativas e regiões do município. Teve por objetivo contribuir com a elaboração e aperfeiçoamento do programa de metas da Prefeitura de São Paulo.

Nossa São Paulo na Câmara

A Rede Nossa São Paulo manteve de 2008 a 2012 um jornalista na Câmara Municipal para acompanhar e divulgar o trabalho dos vereadores neste portal. A divulgação visava tornar a Câmara mais transparente e estimular a participação dos cidadãos e da sociedade civil nas decisões do Legislativo Municipal. O serviço se somou ao trabalho realizado pelo GT Acompanhamento da Câmara da Rede Nossa São Paulo.

Orçamento per capita e indicadores socioeconômicos por subprefeituras

Divulgação do estudo sobre o orçamento da capital paulista de 2007, realizado pelo Grupo de Trabalho de Orçamento da Rede Nossa São Paulo. O material, mostra a divisão do orçamento municipal de São Paulo por subprefeitura e a relação por cada morador.

Rede por cidades justas e sustentáveis

A Rede Nossa São Paulo participa da Rede Social Brasileira por Cidades Justas e Sustentáveis, inclusive da articulação que deu origem à rede em junho de 2009. Composta por organizações apartidárias e inter-religiosas, o objetivo é a troca de informações e conhecimentos entre os integrantes para promover o aprendizado mútuo, o apoio e o fortalecimento de cada experiência local. Também está em formação uma rede latinoamericana.

Debates pré-Fórum Nossa São Paulo

Foi uma série de debates realizados em março e abril de 2008 com o objetivo de estimular a reflexão sobre temas relacionados à transparência da gestão pública e à qualidade de vida da população. O primeiro deles teve como tema "O Papel do Tribunal de Contas do Município no Controle das Contas Municipais". Também estiveram em pauta "O papel das Subprefeituras na Democracia Participativa" e "Soluções Sustentáveis para a Gestão de Resíduos Sólidos na Cidade de São Paulo". A série foi encerrada com a discussão sobre “A saúde pública na Cidade de São Paulo”. Cerca de 200 pessoas participaram de cada um dos debates.

1º Fórum Nossa São Paulo – Propostas para uma Cidade Justa e Sustentável

O evento recebeu 750 participantes, entre os dias 15 e 18 de maio de 2008. O objetivo foi estimular a formulação e a apresentação de propostas para os principais desafios sociais, econômicos, políticos, ambientais e urbanos de São Paulo. Desde fevereiro de 2008, cerca de 60 encontros livres foram realizados pela cidade, promovidos pelas organizações comunitárias, universidades e empresas. O ponto de partida foi o conjunto de indicadores que os vários grupos de trabalho da Rede sistematizaram e, a partir deles, a formulação de propostas para os bairros, as subprefeituras e a cidade. Mais de 900 propostas foram recebidas durante a trajetória. As sugestões para a cidade serão encaminhadas aos candidatos a prefeito nas eleições municipais deste ano para que eles possam considerá-las ao elaborar os programas de governo.

Eleições 2008

A fim de qualificar o debate eleitoral nas eleições municipais de 2008 e de obter o comprometimento dos candidatos com a melhoria do serviço público e da qualidade de vida na cidade, a Rede Nossa São Paulo promoveu antes das eleições uma série de encontros com candidatos à Prefeitura e à Câmara Municipal. No primeiro e no segundo turno das eleições, foram entregues aos candidatos as dez propostas da Rede Nossa São Paulo para a gestão, caso fossem reeleitos, a fim de contribuir com a elaboração dos programas de governo para o mandato, que se iniciou em 2009.

1º Encontro de Educação para uma outra São Paulo

O GT de Educação da Rede Nossa São Paulo organizou, no dia 30 de Novembro, o I Encontro Educação para uma Outra São Paulo. Com a participação de mais de seiscentas pessoas, membros de comunidades escolares das redes estadual e municipal, faculdades de educação e outras organizações da sociedade civil, o evento teve o intuito de pensar a educação que a população sonha e que precisa ser feito para concretizá-la.

Seminário e Programa "Conexões Sustentáveis: São Paulo - Amazônia" 

Nos dias 14 e 15 de outubro de 2008, a capital paulista sediou o seminário "Conexões Sustentáveis: São Paulo – Amazônia". O objetivo foi chamar a atenção da sociedade para a interdependência entre a preservação da floresta e a cidade, o maior centro consumidor e distribuidor de produtos da Amazônia.

Os destaques do seminário foram:
- apresentação de um estudo que trouxe exemplos de práticas predatórias na pecuária bovina, no extrativismo vegetal, no plantio de soja e outros grãos na Amazônia e de como as matérias-primas chegam até o consumidor em São Paulo;
- a assinatura de pactos públicos com o setor privado e candidatos ao segundo turno das eleições para evitar a entrada em São Paulo de produtos ilegais ou resultantes de práticas não sustentáveis.

Depois da realização do seminário, o Conexões Sustentáveis virou um programa, a cargo do Instituto Ethos. A iniciativa buscou mobilizar cadeias de valor dos setores da pecuária, da madeira e da soja através de pactos setoriais para a preservação da floresta amazônica e seus povos. Os documentos punham como obrigação dos signatários o financiamento, a distribuição e a comercialização de produtos com certificação (ou que estivessem em processo de regularização) e provenientes de fornecedores que não fizessem parte da Lista Suja do Trabalho Escravo ou de áreas embargadas pelo Ibama. E, no caso do Pacto da Soja, que estivessem localizados nas áreas liberadas pela "Moratória da Soja". O texto dos pactos também previam a mobilização, por parte dos signatários, para ampliar o número de adesões e a realização de campanhas de esclarecimento com seus consumidores e fornecedores. O cumprimento dos termos de compromisso em cada setor foi monitorado pelo comitê de acompanhamento dos Pactos. Além dos pactos empresariais, a prefeitura de São Paulo também se comprometeu com a iniciativa, assinando um termo de compromisso para desenvolver políticas públicas que ajudem a construir uma Amazônia sustentável.