Risco de jovem ser vítima de homicídio no Campo Limpo é 16 vezes maior do que na Vila Mariana

Dados atualizados do Mapa da Desigualdade, que foram divulgados nesta quarta-feira pela Rede Nossa São Paulo, revelam outras diferenças gritantes entre os melhores e piores indicadores da cidade. 

Por Airton Goes, da Rede Nossa São Paulo

O Mapa da Desigualdade da Cidade, divulgado nesta quarta-feira (31/8) pela Rede Nossa São Paulo, revela que o índice de homicídios de jovens (de 15 a 29 anos) do sexo masculino é de 10,44 por 10 mil habitantes dessa faixa etária no distrito do Campo Limpo. Na Vila Mariana, por outro lado, o indicador para esse tipo de crime é de 0,642.

De acordo com os dados atualizados, a diferença entre o pior indicador da cidade (Campo Limpo) e o melhor (Vila Mariana) – que a Rede Nossa São Paulo chama de “desigualtômetro” – é de 16,26 vezes. Ou seja, o risco de um jovem ser vítima de homicídio no Campo Limpo é 16 vezes maior do que na Vila Mariana.

Em relação aos homicídios em geral – não apenas de jovens –, o pior distrito é o de Marsilac, no extremo sul de São Paulo, com 4,95 óbitos por 10 mil habitantes. O melhor indicador é em Moema, que registra índice de 0,114. Neste caso, o “desigualtômetro” entre os dois distritos situa-se em 43,30 vezes.

Outro número que evidencia a grande desigualdade existente entre as diferentes regiões da cidade é o de gravidez na adolescência. A porcentagem de nascidos vivos cujas mães têm 19 anos ou menos é 166 vezes maior em Perus (índice de 19,41% sobre o total de nascidos vivos) do que no Jardim Paulista (indicador de 0,117%).

O Mapa da Desigualdade da Cidade compara também a quantidade de área verde por habitante. Na região de Parelheiros, este índice é 341,43 m2, enquanto na Cidade Ademar, cada morador dispõe apenas de 0,773 m2 de área verde (ou seja, menos de 1 m2). A diferença entre os dois indicadores aponta para um “desigualtômetro” de 441,85 vezes.

Confira aqui a apresentação do Mapa de Desigualdade da Cidade Atualizado.

Zeros da cidade

Lançado em evento público no Sesc Consolação, o Mapa da Desigualdade constata ainda que São Paulo registra índice zero para diversos equipamentos e serviços públicos.

Entre os 96 distritos da cidade, por exemplo, 36 têm zero de acervo de livros para adultos e 60 possuem o mesmo índice (zero) de centros culturais e espaços de cultura. 

Há vários anos, a Rede Nossa São Paulo reivindica do poder público a redução da desigualdade e o fim dos zeros na cidade.

Confira aqui todos os dados do Mapa da Desigualdade da Cidade.

Candidatos a prefeito 

Os candidatos a prefeito da capital paulista foram convidados para o evento, que teve ainda a apresentação de um balanço do Plano de Metas 2013-2016 e a explicação do projeto “32xSP” – um novo site de notícias sobre o que acontece nas 32 subprefeituras da cidade, fruto de parceria entre a Rede Nossa São Paulo e a Agência Mural de Jornalismo das Periferias.

Leia também: Prefeitura de São Paulo cumpre 61 metas propostas no início da gestão