Prefeitura aumenta número de novos ônibus e vagas em creche

A Prefeitura de São Paulo entregou ontem (12) 1.016 novos ônibus, que vão compor a frota de 14.444 veículos em operação pelas empresas concessionárias dos subsistemas estrutural e local.

Segundo a gestão, é a maior renovação de frota já registrada na cidade em apenas 12 meses em mais de uma década, na comparação com o mesmo período das três administrações anteriores.

Os ônibus chegam ao sistema com tecnologia moderna que garante maior segurança e conforto aos usuários. Todos dispõem de itens que obedecem às especificações técnicas exigidas pela SPTrans para a acessibilidade e estão equipados com ar-condicionado.

Atualmente, 92,3% dos ônibus da frota já são acessíveis. Com a nova licitação, 100% da frota terá, obrigatoriamente, que dispor de itens de acessibilidade. Os veículos também estão preparados para receber rede Wi-Fi e tomadas USB.

Creches

Na segunda (11), a gestão anunciou o aumentou no número de vagas disponíveis no Centro de Educação Infantil (CEI) conveniado Anglicana Renata Eugênia Rodrigues, em Paraisópolis, Zona Sul. A entidade ganhará mais 50 vagas.

A divulgação aconteceu durante o evento Natal das Creches, realizado pela Catedral Anglicana de São Paulo, que reuniu cerca de mil crianças e jovens de entidades mantidas pela igreja em várias cidades do Estado de São Paulo. Com a medida, a creche passará a atender 478 crianças.

O CEI conta atualmente com 67 funcionários, dos quais 41 são professores. Lá, são oferecidas cinco refeições diárias: café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar. A ampliação foi possível com a readequação do espaço, de 4 mil m² de área construída, em terreno de 10 mil m².

Em 11 meses de gestão de Doria, foram criadas 18 mil novas vagas em creche: 49 vezes mais do que o executado no primeiro ano da gestão passada. Porém, vale ressaltar que a promessa de campanha era zerar a fila nas creches no primeiro ano de governo, ou seja, criar 65 mil vagas novas em 12 meses. Após assumir o cargo, o prazo da promessa se estendeu para março de 2018. Segundo dados recentes, a atual gestão entregou menos de um quinto (20%) das vagas prometidas para zerar o déficit.

Matéria originalmente publicada no jornal Diário do Comércio (DCI)